EnglishFrenchPortugueseSpanish

O mundo inverteu todos os valores

Charlotte Bellis, jornalista grávida da Nova Zelândia presa por regras de quarentena diz que se voltou para o Talibã, diz que grupo ofereceu seu porto seguro enquanto a quarentena impedia o retorno para casa. Bellis disse que conversou com altos contatos do Talibã que lhe disseram que ela ficaria bem se voltasse ao Afeganistão. 

Bellis disse que conversou com altos contatos do Talibã que lhe disseram que ela ficaria bem se voltasse ao Afeganistão. 
Foto: Patrick Lewis/Starpix/Shutterstock

Eu tenho falado, insistentemente, que as pessoas estão completamente histéricas devido a pandemia. Acuso a nossa esquerda ter virado de direita e ter se tornado defensora da big pharma. Tô chamando de nazista o tal passaporte sanitário. E é mesmo, enterraram o código de Nuremberg nessa. Tô vendo fascismo como nunca vi antes. Tô vendo uma ditadura sanitária global sendo implantada.

Vi o ocidente inteiro enterrar diversas curas contra a pandemia por lucro e ninguém querer acreditar que isso seja possível, como se fosse novidade matar gente para ganhar dinheiro. Vi enfiarem uma solução que está falhando miseravelmente, mas que dá muito lucro. Tô vendo todos os cientistas sérios que trazem boas notícias serem atacados impiedosamente. Tô vendo uma censura global sem precedentes.

Ao denunciar tudo que vi, estou sendo ofendido toda hora, perdi amigos, ganhei blocks de uma galera que simplesmente passou a preferir xingar do que conversar. Acuso todo mundo de ter desligado o senso crítico e obedecer autoridades cegamente, por algum motivo muito louco.

Agora esquece todos esses assuntos tabus que falei anteriormente. Esquece tudo que eu disse sobre lucros, big pharma, ivermectina, eficácia pífia das vacinas e os efeitos coltareais graves. Sei que parte de vocês já formou opiniões quase religiosas sobre essas coisas e nada os tirarão desse transe tão facilmente.

Mas dá uma zerada, e vamos olhar para o mundo sem essa ótica.

Saca a notícia que saiu no the Guardian hoje e tenta me dizer que o mundo não está completamente louco, com tudo invertido:

“Uma jornalista grávida da Nova Zelândia diz que teve que pedir ajuda ao Talibã depois de ser impedida de retornar ao seu país de origem devido às regras de quarentena.

Em uma coluna publicada no New Zealand Herald no sábado, Charlotte Bellis disse que era ‘brutalmente irônico’ que ela tenha questionado o Talibã sobre o tratamento que dão às mulheres e agora está fazendo as mesmas perguntas ao seu próprio governo.

‘Quando o Talibã oferece a você – uma mulher grávida e solteira – um porto seguro, você sabe que sua situação está confusa’, escreveu Bellis em sua coluna”.

Isso mesmo. O Talibã (releia) está ajudando uma jornalista grávida que está presa devido à insana política de zero Covid da Nova Zelândia, seu país de origem.

Se vocês acharem isso normal, que é pela saúde, realmente, não há nada que fará vocês retomarem a normalidade tão cedo.

The Gaurdian:
https://www.theguardian.com/world/2022/jan/29/taliban-helps-pregnant-new-zealand-journalist-stranded-by-quarantine-rules

Por Filipe Rafaeli
Jornalista Investigativo

Compartilhar:

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on linkedin

4 respostas

  1. Estou começando a achar que somente um louco, um insano, pode salvar a humanidade. Se está tudo ficando invertido e está mesmo, tipo o certo está errado, a justiça pratica a injustiça, a democracia apoia a perversa ditadura chinesa, o desonesto é a alma mais honesta domundo, etc.,, então só alguem sem sanidade mental podera por ordem nessa balburdia planetaria. Corroborando essa teoria, o primeiro nome que me vem à mente é o do Presidente Bolsonaro. Não, não, não, você que é bolsonarista, não pare de ler. Um homem que há três anos governa um dos maiores paises do mundo, antecedido por uma quadrilha politica, apoiada pela justiça, imprensa e grandes empresários, perseguido dia noite por toda essa gangue nacional, não se intimida bate de frente, e faz uma das melhores administrações dentro de uma pandemia mundial, não seria um insano? Pelos padrões éticos, morais, comportamentais mundiais hoje, é um louco de jogar pedra., só que os possíveis apedrejadores o adoram e com ele se identificam. Então, sejamos loucos, salvemos o mundo.

  2. Como nos salvarmos dessa loucura? No momento, tenho me dedicado às orações e ao auto conhecimento! Se não salvar a humanidade pelo menos salvo à mim.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

covidflix

Outras Notícias